Publicidade
Rádio JM
Canais Facebook Twitter RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
 | 
BUSCA:     

 
POLÍTICA
Tamanho do texto: A A A A
Renata Gomide - 06/10/2011

Lerin defende voto aberto na Assembleia de Minas

Compartilhar:

O deputado estadual Antônio Lerin (PSB) abraçou a bandeira do voto aberto na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Para ele, todo homem público “tem que botar a cara” e, nesse sentido, defende a extinção da prática da votação secreta para toda e qualquer situação nas casas de lei. Vice-líder do Bloco Parlamentar Social na Alemg, integrante da base de sustentação do governo Anastasia, o pessebista não vê problemas em criar outra ferramenta para tornar as ações políticas mais transparentes.
 
“Alguns pensam que o voto secreto ‘protege’ o deputado de alguma retaliação por parte do Executivo, em casos extremos. Eu penso que quando temos convicção de algo, devemos defender abertamente, não só no Legislativo, mas no Executivo também”, explica. O deputado considera que o cidadão tem o direito de saber se aquele que elegeu como representante está ou não agindo com coerência e em prol do bem-comum.

Dentro desse princípio da transparência, Lerin pondera que se os Poderes não souberem se relacionar em situações de desgaste ou conflito de ideias, é sinal que algo está muito errado. Segundo ele, a população também tem o direito de opinar, ver quem está com a razão e não ficar à mercê de interesses individualistas.

Situação. Em Uberaba, desde 2006 que o Legislativo aprovou o voto aberto para todas as situações. O tema é discutido na Câmara dos Deputados desde 2001, onde tramita uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC 349) que acaba com a votação secreta nos plenários da Casa e do Senado. Na semana passada foi criada uma Frente Parlamentar em prol desta medida e que tem a adesão de 275 parlamentares, sendo 64 deputados federais e 11 senadores.
 
A PEC do Voto Aberto foi aprovada em primeiro turno em 2006. O texto precisa de uma segunda votação antes de ir para o Senado. De acordo com o Regimento Interno da Casa, os deputados não podem fazer modificações no texto aprovado no primeiro turno. Por conta disso, o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), disse que se os líderes fecharem acordo para resguardar o voto secreto em alguns casos, uma nova PEC deverá ser apresentada no Plenário, com tramitação mais rápida.


OUTRAS NOTÍCIAS


Secretaria de Educação deve entregar uniformes e materiais até o carnaval (30/01)
Piau retoma debate sobre o projeto do aeroporto de cargas (30/01)
Luiz Dutra volta a cobrar construção de novo Centro Administrativo da cidade (30/01)
Ângela Dib desconhece mudança na Seds e espera ficar o cargo (30/01)
Com perdas de até 50% na safra de grãos, Prefeitura decreta emergência (30/01)
Secretária de Desenvolvimento Social fala sobre questão dos andarilhos na cidade (29/01)
Bloco independente pode lançar Lerin para presidente da Assembleia Legislativa (29/01)
Secretário de Saúde diz que pretende estabelecer parceria com o Conselho (29/01)
Outro geoprocessamento atualizará cadastro para reajustar IPTU 2016 (29/01)
Samir admite ir para a Cohagra, mas quer cooperação mútua com suplente (29/01)
Novo presidente da Cemig garante a Piau que até fevereiro define gasoduto (29/01)
Para presidente Dutra, vereadores no governo é sinal de prestígio da Câmara (28/01)
PMU inicia formatação de PPP para manutenção da iluminação pública (28/01)
Lideranças apresentam pauta a políticos da região (28/01)
Uberaba tem até sexta para prestar contas ao governo federal (28/01)
Relatório que apura superfaturamento na Saúde será entregue ao MP esta semana (28/01)
Alteração nas regras de seguro-desemprego deverão ser revistas (27/01)
Grupo espera ter adesão de pelo menos 10 vereadores esta semana (27/01)
Líder e tucano não assinam documento em apoio a Hueb (27/01)
Sindicalistas aguardam agenda para início de negociações dos servidores (27/01)




Banner Giovanna Prata lateral superior
EDIÇÃO DE HOJE
Edição de Hoje

Banner blog mais bella
ENQUETE
Você acha que está correto o Carnaval de Marchinhas no Mercadão e bandas com shows no Centro Park, ao invés do Carnaval de rua com as Escolas de Samba de Uberaba?




JM FORUM
Diante da escassez de chuvas e do uso indiscriminado da água, o governador Fernando Pimentel declarou que Minas Gerais precisará recorrer ao racionamento. Você acredita que é esta a melhor saída para a crise hídrica enfrentada pelo país?
Comentar


AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2015