JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 20 de março de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Município quer arrecadar mais R$ 6 mi em 2012 com geoprocessamento

Pmuobteve os primeiros resultados do geoprocessamento, cujo levantamento começou a ser realizado no ano passado

Última atualização: 01/08/2011 - 11:13:36.

Prefeitura de Uberaba obteve os primeiros resultados do geoprocessamento, cujo levantamento começou a ser realizado em agosto do ano passado pela empresa Partnes Brasil. Os dados foram apresentados pela coordenação da empresa ao secretário da Fazenda, Wellington Fontes e o presidente da Companhia de Desenvolvimento em Informática (Codiub), Luiz Humberto Borges. A partir das informações, o município pretende comparar com os dados com o atual cadastro imobiliário para verificar possíveis irregularidades. A previsão de término do levantamento é dezembro de 2012.

Segundo a Partnes Brasil, o mapeamento urbano básico, desenvolvido através de levantamento aerofotométrico, está concluído. Agora, três equipes estão desenvolvendo visitações in loco. Até agora, 50% do município já foi percorrido. Paralelamente, a empresa faz o levantamento das áreas construídas nos imóveis para realizar a transferência de dados para a Codiub. No total, cerca de 120 pessoas estão envolvidas, entre equipe de trabalho interno e em campo, em todo o processo.

Conforme o secretário da Fazenda, Wellington Fontes, a Administração municipal irá fazer as devidas análises das informações preliminares, comparando-as com o atual cadastro imobiliário, para verificar quais os procedimentos a serem seguidos, principalmente no que diz respeito às irregularidades. O levantamento também servirá para o lançamento do  Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) corrigindo eventuais falhas no cadastro imobiliário.

A empresa, com sede em São Paulo, foi contratada por R$ 6 milhões. Para o secretário, este valor poderá retornar aos cofres públicos, ainda no ano que vem, com o aumento da arrecadação gerada pela regularização dos imóveis identificados como clandestinos.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia