Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
 | 
BUSCA:     

 
POLTICA
Tamanho do texto: A A A A
Gisele Barcelos - 13/01/2018

Sem verba, Executivo veta projeto de videomonitoramento nas escolas

Compartilhar:

Arquivo


Obrigatoriedade das câmeras foi proposta pelo vereador Samuel Pereira

Executivo veta lei que obriga a instalação de câmeras de monitoramento em escolas da rede municipal. O governo municipal argumenta inconstitucionalidade do projeto e ausência de recursos para cumprir a regra. O posicionamento será submetido à análise do Legislativo, que pode decidir pela derrubada do veto.

A obrigatoriedade das câmeras foi proposta pelo vereador Samuel Pereira (PL). O projeto de lei foi aprovado em dezembro na Câmara Municipal, mas a regra dependia de sanção do prefeito Paulo Piau (MDB) para entrar em vigor.

No veto total à proposição, o Executivo justificou que a obrigatoriedade das câmeras de vigilância é uma matéria ilegal porque não foi inserido no projeto estimativa de impacto orçamentário-financeiro para o cumprimento da nova regra, conforme exige a Lei de Responsabilidade Fiscal.

O veto reforça que a implantação do videomonitoramento aumentaria despesas para a Prefeitura e a proposição aprovada na Câmara não previa fontes de custeio. “Em que pese a relevância da matéria trazida na mencionada lei, a proposição é ilegal, inconstitucional e contraria interesse público, uma vez que cria obrigação ao Executivo, ferindo o princípio constitucional da separação dos poderes, além de gerar despesa sem fonte capaz de acobertá-las e por falta de impacto orçamentário-financeiro”, continua o texto.

O departamento jurídico da Prefeitura também alegou que a exigência da instalação das câmeras seria uma ofensa à Constituição, que garante a separação e independência dos três poderes do Estado.

Além disso, o governo municipal posicionou não ter condições financeiras para a implantação do videomonitoramento nas escolas. “A instalação de câmeras demanda investimento em sua aquisição, instalação e manutenção, e o monitoramento implica em contratação de empresa ou manutenção de pessoal, recursos da qual o Poder Executivo não dispõe”, acrescenta o texto.

O município ainda informou que o projeto foi submetido à análise da Secretaria de Educação, que se manifestou contra a lei que tornaria o videomonitoramento nas escolas obrigatório. A pasta argumentou já existir contrato com empresa de segurança e, com isso, a vigilância das unidades já seria executada em parte pelo Poder Público.



OUTRAS NOTCIAS


Servidor Solidrio prepara festa julina para arrecadar fraldas e leite (24/06)
Oramento impositivo j pode ser analisado pelo plenrio da ALMG (24/06)
Codiub avana para implantar sistema de Cidade Vigiada (24/06)
Procon empossa novos conselheiros e curadores para gerir fundo municipal (24/06)
Minas tem 16 casos de febre amarela com vacinao prvia (24/06)
Planto da PC j funciona em prdio reformado no Parque das Amricas (24/06)
A mulher que dever dar mais sensibilidade Fiemg Regional (24/06)
Desaprovao de Bolsonaro dispara, segundo pesquisa do Ipsos (24/06)
Setor sucroenergtico deve investir na integrao da produo com a indstria (23/06)
Projeto sobre a produo de queijo em Minas recebe parecer favorvel (23/06)
Pr-candidatos do MDB devem apresentar alianas, diz manifesto (23/06)
Interesses regionais e questes partidrias criam dilema para Piau (23/06)
Eleio de outubro deve reeditar a unio dos Menudos dos anos 90 (23/06)
Fachin arquiva pedido de liberdade de Lula (23/06)
Governo do Estado quita com atraso a 1 parcela dos salrios dos servidores (22/06)
Cmara agiliza sesses para os vereadores irem solenidade (22/06)
Prefeito pede agilidade na liberao de recursos para obras paradas (22/06)
Meta zerar o dficit habitacional, diz Piau na entrega dos imveis (22/06)
Prefeitos no iniciam greve branca no 35 Congresso de Municpios (22/06)
Secretrio de ministrio diz que mais 700 mil casas sero erguidas (22/06)




San Marco - 20jun
EDIÇÃO DE HOJE
Edição de Hoje
SINTONIZE

ENQUETE
Na sua opinio, como deveriam ficar os direitos polticos de parlamentares presos?





JM FORUM
A Lei Seca completou dez anos em junho. Na sua opinio, temos o que comemorar?
Comentar


AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2018