JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 19 de junho de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Secretários estaduais vão à ALMG para explicar reforma administrativa

Em audiência ontem na Assembleia Legislativa, secretários estaduais Otto Levy (Planejamento e Gestão) e Custódio Mattos (Governo)

22/03/2019 - 00:00:00. - Por Gisele Barcelos

Em audiência ontem na Assembleia Legislativa, secretários estaduais Otto Levy (Planejamento e Gestão) e Custódio Mattos (Governo) reforçam necessidade de aprovação da reforma administrativa pelos deputados estaduais.
 
Os dois estiveram na Casa para esclarecer pontos do projeto de lei que trata da reforma administrativa estadual, já encaminhado no início do ano para análise da Assembleia. A reunião foi convocada pelas comissões de Constituição e Justiça, de Fiscalização Financeira e Orçamentária, de Administração Pública e de Saúde.
 
Na conversa, o secretário de Governo, Custódio Mattos, salientou a importância da aprovação da reforma administrativa de forma rápida. “Esperamos a compreensão de todos para os objetivos centrais da proposta, num momento que vivemos o auge de uma crise econômico-financeira que paralisa a capacidade de investimentos do Estado. O governo está atento a todas as observações dos deputados e da sociedade. Pedimos a compreensão para o fato de que essa proposta é necessária e urgente”, acrescentou.
 
Já o secretário de Planejamento ressaltou que o projeto da reforma tem três objetivos principais: enxugar a máquina pública, aumentar a eficiência do Executivo na execução das políticas públicas e reduzir gastos e custos do governo. “É de conhecimento da sociedade mineira a grave situação financeira do Estado. Minas deve R$42 bilhões deixados pelo governo anterior. Não existe uma ação que possa ser feita que corte de uma vez R$10 bilhões. A reforma propõe economia de R$1 bilhão (em quatro anos). Com ações como essa é que vamos resolver essa situação”, pontuou.
 
O secretário apresentou também a nova configuração das secretarias de Estado, que passarão de 21 para 12. Além disso, a estrutura interna dessas pastas será reduzida em 47%. (GB)
 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia