JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 18 de dezembro de 2018 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍCIA

Servidor do município preso com carro roubado e clonado

Veículo que vale R$211,8 mil no mercado foi furtado em Araxá no mês de novembro e adquirido pelo suspeito por R$14 mil

06/12/2018 - 00:00:00. - Por Renato Manfrim Última atualização: 06/12/2018 - 07:26:43.

Jairo Chagas


Carro que estava com o servidor no momento de sua prisão, na manhã de ontem, quando ele saía do trabalho

Após denúncia anônima, servidor público municipal de 23 anos foi preso na manhã de ontem pela Polícia Civil com veículo Toyota SW4, cor branca, produto de roubo e com as placas clonadas. 

O suspeito, que não tinha antecedentes criminais, vai responder por receptação e adulteração de identificação de veículo automotor. Após ser autuado em flagrante na Delegacia de Plantão, segundo informações do delegado Luiz Tortamano, o jovem seria encaminhado à penitenciária “Professor Aluízio Ignácio de Oliveira”. Ainda conforme o delegado, ele foi abordado no momento em que saiu do seu local de trabalho e entraria no carro. “Em seguida, constatamos, por meio de vistoria, que realmente o veículo foi roubado em Araxá, no dia 22 de novembro, e ele clonou a placa de um veículo idêntico daqui de Uberaba”, disse.

O delegado Luiz Tortamano contou ainda que o suspeito confessou o crime e, inicialmente, disse que comprou o carro de um cigano pela quantia de R$6 mil. No entanto, depois falou que adquiriu o veículo com outro indivíduo por R$14 mil. O valor do veículo na tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) é de R$211,8 mil.

De acordo com o registro da PC, foi comprovado por meio de conversas de WhatsApp que a segunda versão de como o suspeito adquiriu o carro seria a verídica. Foi possível também constatar que o uberabense e o outro suspeito que lhe vendeu o veículo por R$14 mil tiraram fotos da SW4, que estava estacionada na casa do segundo suspeito. Ainda conforme o registro policial, pelos diálogos do aplicativo, ficou comprovado que ambos procuraram placa identificadora para colocar no veículo para ocultar a procedência ilícita, inclusive negociaram a compra da placa por R$380. 

Um dos investigadores da PC entrou em contato com o segundo suspeito, que disse que o seu advogado iria à Delegacia de Plantão de Uberaba a fim de defendê-lo.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia