JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 20 de março de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

ESPORTE

Cobrado, Flamengo recusa decisão para fechar Ninho

Em reunião promovida entre o clube e autoridades, a Prefeitura do Rio de Janeiro reafirmou que o CT deve ser interditado

16/02/2019 - 00:00:00. - Por Folhapress

Uma semana após o incêndio no alojamento do Centro de Treinamento do Flamengo, o clube se recusa a cumprir uma decisão da Prefeitura do Rio de interditar o local. Dez atletas da equipe menores de idade morreram no local, que está irregular, segundo as autoridades municipais. 

O vice-presidente jurídico do Flamengo, Rodrigo Dunshee de Abranches, minimizou nesta sexta-feira (15) a ausência de licença municipal para o funcionamento do Centro de Treinamento do clube desde 2017.

Na primeira vez em que um representante do Flamengo respondeu a questionamentos da imprensa, Abranches abandonou a coletiva ao ser pressionado a explicar o motivo do Ninho do Urubu, como o CT é conhecido, estar funcionando desde outubro de 2017 desrespeitando interdição determinada pela Prefeitura do Rio de Janeiro.

"Uma decisão administrativa cabe recurso. Se eu quiser recorrer, vou recorrer. Estou no prazo para fazer certas coisas. Só acho que essa questão de licença é colateral. Nós temos campos de futebol que não oferecem risco nenhum", afirmou Abranches.

Em reunião promovida entre o clube e autoridades, a Prefeitura do Rio de Janeiro reafirmou que o CT deve ser interditado, segundo pessoas que participaram do encontro.

O Flamengo não fechou o CT e realizou treino do time profissional na tarde desta sexta, mesmo após o fim do encontro.

Para efetivar a interdição, a prefeitura deve solicitar o fechamento na Justiça, ou comunicar ao Ministério Público do Rio de Janeiro para que avalie o caso. Nenhum representante do município falou com a imprensa. 

Abranches abandonou a coletiva enquanto jornalistas ainda faziam perguntas.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia