Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
 | 
BUSCA:     

 
ARTICULISTAS
Tamanho do texto: A A A A
Maria Aparecida Alves de Brito - 17/05/2014

Fragmentos da memria

Compartilhar:

Quando a vi pela primeira vez, com uma trouxa pesada às costas, pensei: como deve ser sofrido o caminhar da pessoa que transita pela terra fugindo dos próprios pensamentos. Quanta amargura entre passado e presente ela consegue suportar naquele corpo tão franzino, castigado pelo tempo e os delírios que devagarzinho vão minando todas as suas forças. Fico imaginando em que momento da vida ela se dissociou da realidade, abriu o portão de casa e sem se despedir, sem olhar para trás, sem ter noção das dores que iria causar, com os pés descalços, com a roupa do corpo, fechou o portão atrás de si e se foi para nunca mais voltar. Em suas andanças, ela passa sempre pela rua onde moro. Ofereço-lhe o que tenho no momento para comer, ela aceita e com um largo sorriso me agradece. Tento manter com ela um diálogo, mas não há trocas na nossa relação. Ela sem falar de si e eu sem insistir. Mas, como eu gostaria de montar esse quebra-cabeça, juntamente com ela. Por onde começar? Muitas são as histórias de desacertos, de padecimentos e amarguras que entremeiam os caminhos de uma pessoa andante. Penso que deve haver algo que a medicina psiquiátrica, juntamente com uma assistente social e uma psicóloga, possa fazer para libertar estas almas feridas, infelizes e atormentadas das sombras em que vivem. Devolvê-las sadias às suas famílias, ao carinho dos filhos, ao convívio social. Bastaria que alguém se dignasse a lançar um olhar de bondade sobre essas pessoas, acolhê-las e libertá-las das perturbações e das aflições em que se encontram, e que, sozinhas, jamais conseguiriam. Peço a Jesus, como fez o espírito de Cáritas, em 1873, quando nos presenteou com esta maravilhosa oração em forma de súplica: Pai, dai a ela uma estrela que a guie, quando ela estiver em aflição, dai a ela o consolo. E quando ela adoecer e não mais sentir forças para caminhar, dai a ela um lugar para repousar o corpo cansado. Dai a ela um chão repleto de estrelas, entre nuvens macias e uma lua que nunca se apague para que ela possa seguir sua viagem rumo a um mundo onde lhe seja possível desfrutar do descanso que nunca teve na terra.

(*) Pedagoga, Especialista em Educação Especial
Cida.brito@live.com




San Marco - 13jul
EDIÇÃO DE HOJE
Edição de Hoje
SINTONIZE

ENQUETE
Voc acredita que o problema de emisso de Carteiras de Trabalho ser resolvido com o apoio do Sine Municipal, que passar a emitir o documento possivelmente ainda neste ano?




JM FORUM
Diante do crescente nmero de moradores de rua e com o fechamento do albergue municipal, a Seds lana nova etapa de poltica de resgate. Na sua opinio, como a situao de rua pode ser revertida em Uberaba?
Comentar


AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2018