JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 20 de abril de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Sempre Flamengo

É difícil escrever sobre os momentos de horror vividos pelos atletas da categoria de base

12/02/2019 - 00:00:00. - Por Mário Salvador

É difícil escrever sobre os momentos de horror vividos pelos atletas da categoria de base e funcionários do Flamengo que escaparam da morte no incêndio no Centro de Treinamento do Flamengo, no Ninho do Urubu – a maior tragédia do clube em 123 anos de história. Também é difícil falar sobre como se sentem as famílias dos três feridos, em tratamento em hospitais, e principalmente sobre as famílias dos dez atletas mortos no incêndio. 

Esse incêndio, com tantas mortes de bons atletas da categoria de base, alguns já tendo jogado pela Seleção Brasileira de base, fez-me lembrar de um quadro do programa “Balança Mas Não Cai”, da Rádio Nacional, criado por Max Nunes e Paulo Gracindo na década de 50 e cujo quadro mais memorável era “Primo Pobre & Primo Rico”. Num outro quadro, um torcedor fanático do Flamengo, o personagem Peladinho, interpretado pelo humorista Germano, comentava sobre o último jogo do time. Quando o time vencia, ele dizia: “Mengo, tu é o maió.” e se o Flamengo era derrotado, esse torcedor tinha outro bordão: “Mengo, tu é uma disgracêra.” Infelizmente, a tristeza agora não foi a simples derrota em um jogo.

O Flamengo já recebeu trinta e uma multas por causa de falhas nesse alojamento, que não tinha alvará de funcionamento. Nem todas as multas foram pagas. E em menos de um mês, com a inauguração de novos alojamentos, essas instalações em contêiner seriam abandonadas. Um pouco tarde para os atletas que perderam a vida.

Certamente, o Flamengo terá que compensar as famílias dos atletas mortos. Diretores já afirmaram que darão assistência a elas. Também é de se esperar a punição dos culpados pela tragédia. 

Sou um dos milhares de flamenguistas a lamentar essa triste ocorrência. Mas sei que todos os torcedores, independentemente do seu time do coração, se sensibilizaram com o fato. Infelizmente, para os atletas mortos, essa tragédia tornou real, muito cedo, a letra do Hino Oficial do Clube de Regatas do Flamengo: “Uma vez Flamengo,/ Flamengo até morrer.”

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia