JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 22 de setembro de 2018 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

ARTICULISTAS

A Lei do Amor

Havia sido promovido para aquela comarca de porte médio. Seria o Juiz da localidade

14/09/2018 - 21:39:27. - Por Ricardo Cavalcante Motta Última atualização: 14/09/2018 - 21:39:36.

Havia sido promovido para aquela comarca de porte médio. Seria o Juiz da localidade. No contexto, ainda vigorava o costume de se receber o novo juiz com alguma solenidade. Mas desta vez cumpriram apenas as formalidades. Não havia presenças, senão de um repórter que foi registrar o ato. O prefeito mandou justificativas escritas com desejo de êxito. O pároco, que costumava prestigiar a chegada de autoridades, disse ter informações de que o juiz era espírita e preferiu manter-se à distância... e assim se seguiu. Restou oca a ocasião, com o que o chegante nada se importou. Já tinha superado a vontade menor por mimos que alimentavam mesmo era o ego e a vaidade. Ademais, intimamente suspeitava do real motivo do vazio. O jornalista, respeitosamente, dele aproximou-se e foi prontamente atendido. Depois que fez as perguntas de praxe, foi ao ponto que efetivamente pretendia. Perguntou ao entrevistado sobre a publicação que viu no jornal da comarca de onde vinha, relatando que o magistrado abordado era casado com um ex-presidiário. Já calejado por situações inusitadas em razão deste episódio, maduro, evoluído e tarimbado, achou por bem esclarecer ao repórter e, por consequência, à comunidade local. Respondeu. "Sim. Realmente sou casado com um ex-detento. Eu o conheci através de um excelente trabalho filantrópico que passou a praticar com presos quando deixou a penitenciária. Minha esposa fez cirurgia de mudança de sexo. Pelas circunstâncias, temos três filhos adotados, queridas crianças de origens diversas. Como indaga, meu Tribunal nunca me hostilizou por isso, afinal tudo está amparado pela lei Constitucional, pelas demais leis ordinárias e pela jurisprudência do próprio Sodalício. Certamente, às vezes passo por algum desconforto por esta razão. Ironias, chacotas às ocultas, especialmente daqueles que não têm suas pretensões deferidas pelo meu juízo. Mas, enfim, consigo tocar minha vida pessoal e profissional sem maiores problemas, afinal, estou sob o abrigo da lei objetiva e especialmente ungido pela lei do Amor". Passado algum tempo de seu exercício naquela localidade, o prefeito buscou aproximação de sua pessoa pelos efeitos da eficácia do trabalho caridoso que sua mulher conseguia. O padre veio ser o melhor amigo desse Juiz naquela comunidade. Vencendo diferenças, eram sempre unidos por causas de cunho filantrópico e sociais. Afinal, ambos reconheciam a força universal da Lei do Amor.

 

Notícias Relacionadas

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia