Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
 | 
BUSCA:     

 
ARTICULISTAS
Tamanho do texto: A A A A
Marli Martins de Assis - 07/12/2017

iFamily. Um novo conceito de famlia?

Compartilhar:

Com o título do livro de Conrado Paulino da Rosa, apresentado aos Senhores, proponho uma reflexão sobre o lugar da família no modelo contemporâneo.

Registra-se que na pós-modernidade há uma ênfase dada ao indivíduo, à sua singularidade. Entretanto, ainda é na dinâmica familiar onde o sujeito mais se revela, com permissividade para viver a ambivalência dos seus afetos.

No nicho familiar, apesar de vivências conflitivas e da condição humana intrínseca de desamparo, os sujeitos vivenciam estados de felicidade ao se depararem com os poderes-deveres de proteção e assistência de um sujeito por outro. Nesse contexto, temos “Famílias terrivelmente felizes” (em recorrência ao título do livro de Marçal Aquino). Nenhuma escapa às determinações de sua época e de seu tempo, quando aos sujeitos são impostas renúncias que são verdadeiras “amputações psíquicas”.

Na medida em que acompanha o desenvolvimento social, a Família vai se adequando. Em cada momento histórico, há novas necessidades, novos interesses e, consequentemente, uma peculiar estruturação familiar. Nos deparamos com um novo conceito: Famílias on-line. Existe a possibilidade da constituição de uma iFamily em caráter permanecente, em função da lógica da família eudemonista, da concretização da autonomia do indivíduo e da sua realização afetiva.

Acompanhamos a tendência do pluralismo das entidades familiares, as novas formas de afetividade e as novas modalidades de família, a partir dos modelos concebidos, inclusive, judicialmente. Muitos resistem às mudanças e, sob sofrimento e tensão, sujeitos em desamparo começam a sugerir que a família está acabando. Sua referência se pauta nas pessoas perdidas no espaço virtual dos e-mails, dos contatos breves, na escassez dos jantares em família, ou seja, na falta de tempo que deixa a mesa cada vez mais vazia.

Nos ajustamos, ao concebermos esses novos conceitos e novos arranjos familiares, ou, cairemos nas soluções sintomáticas que são produzidas pela cultura para amenizar o sofrimento que ela mesma produz.

Sujeitos, famílias, sob sua condição de “terrivelmente felizes”, podem e devem escapar da onda de conservadorismo, que vem revelando formas violentas de ser e agir no contato com o Outro e com as diversidades. O momento atual se opõe à rigidez.

Vivemos um contexto social de valores fluídos e flexíveis, com a vantagem de contemplarmos várias formas de subjetividade. 

(*) Psicóloga judicial e mediadora interdisciplinar familiar




EDIÇÃO DE HOJE
Edição de Hoje

ENQUETE
Os vereadores aprovaram em segundo turno, por 13 votos a um, o aumento do nmero de cadeiras para a prxima legislao, em 2021. Voc concorda com a proposta?




JM FORUM
Empresas do transporte coletivo solicitam aumento de cerca de 10% no valor da passagem, que pode chegar a R$ 4,17 em 2018. Na sua opinio, o que poderia justificar este aumento?
Comentar


AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2017