JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 20 de abril de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

CIDADE

Greve dos professores do Estado vai a 27%

Número de professores em greve aumenta em Uberaba e movimento ganha força, segundo liderança do movimento

- Por Geórgia Santos Última atualização: 28/05/2014 - 21:04:52.

Número de professores estaduais em greve aumenta em Uberaba e movimento ganha força, segundo liderança do movimento. Nesta quarta-feira serão realizados ato público em Belo Horizonte e assembleia para definir os próximos passos da categoria, que completa sete dias em greve por tempo indeterminado.

Em Uberaba, segundo a coordenadora regional do Sind-UTE, Maria Helena Gabriel, várias escolas já foram visitadas e em cada uma que passa a adesão aumenta. Ela diz que já são 27% de adesão de professores ao movimento. De acordo com Maria Helena, os professores estão sentindo, neste momento, a necessidade de sair para luta, estão sensibilizados por perceber que a situação é séria. “Queremos que o governo estadual negocie com a categoria o piso salarial, o descongelamento da carreira e as consequências da derrubada da Lei 100, o que mais preocupa a categoria e é um assunto muito importante e precisa ser esclarecido, principalmente com relação ao tempo de serviço, com a inconstitucionalidade desse período em que vigorou a lei e não foi recolhido para o INSS”, explica a sindicalista.

Hoje será realizada, em Belo Horizonte, assembleia com professores de vários municípios, inclusive de Uberaba, onde foi formada uma caravana, para avaliação dos primeiros dias de greve. Segundo Maria Helena, a categoria está cada vez mais indignada com falta de posicionamento do governo, que já deveria ter negociado. Com relação ao índice de grevistas em Uberaba, na segunda-feira a sindicato fechou o levantamento com 25%, que, segundo a liderança do movimento, já teve acréscimo, pois na terça-feira as visitas às escolas para convocar os trabalhadores continuou e mais alguns aderiram ao movimento, atingindo 27% dos profissionais. “Na cidade, 16 escolas já foram visitadas e em todas há professores em greve. Vale ressaltar que não temos nenhuma instituição com 100% de grevistas, mas em cada uma em que passamos existe ao menos um professor indignado e que aderiu ao nosso movimento”, afirma.

Por outro lado, segundo informações encaminhadas pela assessoria de imprensa do governo de Minas, a semana começou com funcionamento praticamente normal em todas as 3.674 escolas estaduais. Na segunda-feira, 99,86% das escolas estaduais funcionaram normalmente e 541 (0,41%) professores, de um total de 229.543 docentes em atividade, aderiram à paralisação convocada pelo Sind-UTE. Entretanto, Maria Helena, discorda do posicionamento e afirma que o movimento está aumentando a cada dia que passa. “Eu acho que o governo sabe perfeitamente que não está nada normal, sabe que a greve está acrescendo, a paralisação de apenas um professor em uma escola já é sentida”, afirma.

Ainda conforme informações da assessoria de imprensa, ontem houve mais reunião com o Comitê de Negociação Sindical (Cones), que conta com a participação do Sind-UTE/MG. Este ano já foram realizadas três reuniões do Cones (25/02, 25/03, 23/04). Em 2013 foram realizadas sete reuniões e em 2012, 12.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia