JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 26 de maio de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

CIDADE

Paralisação da Educação lota Rui Barbosa

Plenário da Câmara Municipal também foi tomado por manifestantes nesta manhã

15/05/2019 - 11:51:41. - Por Marconi Lima Última atualização: 15/05/2019 - 12:43:43.

Jairo Chagas

Ato reuniu várias pessoas na praça Rui Barbosa, logo após, as pessoas foram até o plenário da Câmara Municipal

A greve nacional da Educação mobilizou educadores, estudantes e pessoas ligadas à Educação em Uberaba nesta manhã (15). O movimento também faz parte dos preparativos para a paralisação nacional marcada para o dia 14 de junho.

Os manifestantes protestaram contra o corte de recursos nas instituições de ensino superior, promovido pelo Ministério da Educação (MEC). Também se posicionaram contra o projeto de reforma da Previdência Social em tramitação no Congresso Nacional.

Em Uberaba, a concentração aconteceu na praça Rui Barbosa, no centro, com a presença de lideranças sindicais e também de movimentos ligados à Educação. 

As manifestações acontecem após o MEC anunciar um congelamento orçamentário que atinge recursos desde a educação infantil até a pós-graduação, com suspensão de bolsas de pesquisa oferecidas pela Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior).

Manifestação segue ao plenário da Câmara Municipal

Após concentração na praça Rui Barbosa, manifestantes que aderiram a greve nacional da Educação se dirigiram à Câmara Municipal de Uberaba (CMU), onde ocuparam as galerias do Legislativo.

Na CMU ocorria a 3ª reunião ordinária do mês. A sessão ficou suspensa durante a manifestação.

Após a retomada dos trabalhos, o vereador Alan Carlos (Patri), único a se manifestar e prestar apoio ao movimento em favor da Educação, disse que a Comissão de Educação da CMU trabalha para elaboração de um documento que será enviado ao MEC e ao governo de Minas, para rever os cortes anunciados para o setor.

A greve acontece após o MEC anunciar um congelamento orçamentário que atinge recursos desde a educação infantil até a pós-graduação, com suspensão de bolsas de pesquisa oferecidas pela Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). Nas universidades federais, o bloqueio anunciado foi de 30% dos recursos destinados a gastos discricionários (como água, luz e serviços de manutenção).

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia