JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 18 de abril de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

CIDADE

Acontece nesta noite "Ofício de Trevas" no Santuário da Abadia

Encenação acontece durante as celebrações da Semana Santa

15/04/2019 - 14:22:57. Última atualização: 15/04/2019 - 14:45:12.

Durante o período da Semana Santa, a Igreja Católica realiza várias celebrações para relembrar os últimos passos de Jesus. No Santuário de Nossa Senhora da Abadia, em Uberaba, um dos momentos mais marcantes é o “Ofício de Trevas”, uma tradição realizada há séculos pelos fiéis. A celebração é realizada com a igreja escura e apenas 15 velas em candelabro iluminam o altar, por isso o nome “trevas”. Este é o terceiro ano que o Santuário da Abadia realiza o Ofício, que acontecerá neste dia 15 de abril, Segunda-feira Santa, às 19h30, com a participação de toda comunidade. 

A celebração tem início com a entrada de 15 velas acesas, durante a cerimônia, os últimos passos de Cristo são simbolizados pelas velas que são apagadas aos poucos. Apenas uma permanece acesa, para lembrar a fé na ressurreição. A cerimônia do Ofício de Trevas é composta por um conjunto de leituras, lamentações, salmos e preces penitenciais, onde o templo fica às escuras, representando o luto e a escuridão à qual ficou a Terra pela morte de Jesus. “Tudo isso com a igreja em penumbra, ao som das matracas que remetem o som do lamento do Senhor e convida os fiéis ao recolhimento”, conta o seminarista Jonathan Borges, da Congregação dos Estigmatinos, responsável por trazer o Ofício de Trevas para o Santuário, há três anos. 

Segundo o reitor do Santuário da Abadia, em Uberaba, padre Alexsandro Ribeiro Nunes, o Ofício de Trevas é uma das orações mais belas da Semana Santa que vem sendo aos poucos recuperado pela Igreja. Nele, os fiéis são convidados a rezar e meditar a Paixão e Morte de Jesus na cruz. “Com uma adaptação para melhor participação dos fiéis, o Santuário da Abadia inseriu o canto da Paixão do Senhor Jesus no término do Ofício, onde uma única vela permanece acesa, representando Nosso Senhor, que morre, mas depois aparece cheio de glória, resplandecente de luz. É Jesus a luz que não se apaga na nossa vida”, afirma o padre. 

Após as luzes das velas serem apagadas, a única vela acesa é retirada e dá lugar aos sons de trovoadas, que se refere à morte de Jesus. No entanto, depois desse momento, a vela acesa, volta a ser colocada e todas as luzes da igreja são ligadas. Para os fiéis, esse período representa a presença de Cristo. “Toda a celebração é alimento para nossa fé, onde experimentamos Jesus e propomos uma relação íntima de amizade com Ele, sobretudo em um mundo onde a superficialidade se faz tão presente. É um convite a reviver a Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor”, finaliza o seminarista Jonathan. 

Missas. Aberta oficialmente ontem com as comemorações do Domingo de Ramos, a Semana Santa terá missas em Uberaba, com destaque para a Missa da Unidade, que acontece às 19h na quarta-feira (17), quando o clero se reúne diante do arcebispo, dom Paulo Mendes Peixoto, na Catedral Metropolitana de Uberaba. Na quinta-feira (18), é celebrada a Missa da Ceia do Senhor e Lava-pés, às 19h30, na Comunidade São João Batista. Na Catedral, a celebração será às 20h, com Vigília de Adoração, no Salão Paroquial, até a meia-noite. Na Sexta-Feira da Paixão acontece a Celebração da Paixão e a Procissão do Senhor Morto, que leva a imagem de Jesus pelas ruas da cidade. Haverá celebração, às 15h, na Comunidade São João Batista. Na Catedral, às 9h, haverá confissão comunitária. Às 15h, Celebração da Morte do Senhor e Veneração da Cruz. Às 19h30, procissão com a imagem do Senhor Morto. No Sábado de Aleluia (20) tem a Bênção do Fogo e a Vigília Pascal, às 19h30, na paróquia Cristo Bom Pastor, no conjunto Volta Grande. Na Catedral, a celebração será às 19h30. Por fim, no Domingo de Páscoa acontece a Santa Missa na Catedral às 10h e às 19h. Vale lembrar que cada paróquia tem também sua programação com horários específicos.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia