Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
 | 
BUSCA:     

 
CRNICA DO DIA
Tamanho do texto: A A A A
CRNICA DO DIA
25/07/2017

Compartilhar:


OUTRAS COLUNAS



 Pecado

A maior população católica mundial é a do Brasil, cerca de 120 milhões de adeptos, ou seja, 12% dos que se proclamam católicos são brasileiros. É um contingente considerável, mesmo tendo sofrido um declínio nas últimas décadas, ainda sim é muita gente. O que também permite elucubrar com relação ao número de pecadores que seguramente são a maioria no mundo. Significa dizer que no âmbito católico existem mais de cem milhões de pecadores brasileiros.

Ainda na ótica católica, segundo Santo Agostinho, "pecado é uma palavra, um ato, um desejo contrários à lei eterna” e sua repetição gera vícios que "são hábitos perversos que obscurecem a consciência e inclinam ao mal”. Se a frequência ao confessionário fosse vinculada à relação direta pecado-confissão dentro da expectativa de constância e regularidade dos fiéis desejável pela Igreja, provavelmente teríamos uma enorme demanda reprimida. O que podemos deduzir que o pecado é cada dia menos compartilhado e confessado, tendo em vista a demanda que é verificada nos confessionários. O pecador guarda pra si ou guarda em si os seus pecados e em muitas vezes tenta estabelecer uma relação direta com o Criador à procura de redenção sem a orientada confissão.

Nesse caso fica apenas a sensação do perdão sem o crivo autorizado da Igreja que é a responsável pela “dosimetria” do chamado pagamento dos pecados. O pecador autônomo, digamos assim, se dá ao luxo, de autopenitenciar-se ignorando a liturgia do perdão celestial. Recentemente, por mal dos pecados, tem sido muito comum a utilização de um recurso de natureza de foro íntimo que é a “verdade conveniente relativizada”, apoia-se nela para justificar atos, ideias, convicções e essa prática não se restringe a essa ou aquela religião, é pecado comum de todos, independente de seu pendor teológico. E é um pecado quase coletivo que atualmente se comete com diferentes intenções e manifestações, seja de cunho político, filosófico e até do cotidiano. Está-se aceitando naturalmente a relativização de valores capitais como ética, moral, justiça. Por talvez enquadrar-se na categoria de pecado venial, a “verdade conveniente” talvez seja considerada uma pequena transgressão, mas não é. Ela nos torna reféns de um vício iterativo, cujo resultado é a negação de nós mesmos em relação a uma realidade que vamos perdendo a capacidade de enxergá-la.

Luiz Cláudio dos Reis Campos
Engenheiro
lucrc@terra.com.br







Boulevard Mall Edson Prata - novo
EDIÇÃO DE HOJE
Edição de Hoje

ENQUETE
Durante o inverno, normalmente as aes de combate ao Aedes aegypti perdem fora. Voc continua fazendo a sua parte?







JM FORUM
Uberaba est de volta ao Mapa de Turismo de Minas Gerais. Na sua opinio, a conquista trar benefcios ao municpio?
Comentar


AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2017